Fintech brasileira Dock usará criptomoedas para remessas internacionais

A provedora brasileira de serviços financeiros Dock disse nesta sexta-feira que começará a usar criptomoedas para processar remessas internacionais

 A provedora brasileira de serviços financeiros Dock disse nesta sexta-feira que começará a usar criptomoedas para processar remessas internacionais à medida que se expande para a América Latina e Europa.

O real brasileiro será convertido em bitcoin e depois em outra moeda, como o dólar, e chegará aos usuários finais por meio de clientes do Dock, como Vivo (VIVT3.SA) e Natura&CO (NTCO3.SA) .

“Será uma maneira rápida e barata de fazer remessas”, disse Frederico Amaral, chefe de produtos e tecnologia da Dock, à Reuters em entrevista.

As transferências internacionais têm sido um nicho cada vez mais cobiçado por fintechs como Remessa Online e Wise, que podem vender serviços mais baratos do que grandes bancos.
Criptomoedas
Criptomoedas

Criada em 2014 após ser adquirida pelo fundo de capital de risco norte-americano Riverwood Capital, a Dock até o ano passado era nomeada Condutor.

A Dock recebeu em dezembro a aprovação do Banco Central do Brasil para comprar a rival Brasil Pré-pagos (BPP), que trouxe consigo uma licença de instituição financeira.

Em julho, a Reuters informou que a Dock havia contratado bancos para uma oferta pública inicial (IPO) nos Estados Unidos.

Segundo Amaral, a listagem nos EUA é um caminho natural para a empresa, mas não há pressa porque a empresa ainda tem parte dos US$ 170 milhões que recebeu no final de 2020 de investidores como Temasek, Viking Global e Sunley House, um unidade do Advento Internacional.

Via Reuters

Escrito por Portalpower

É pai de família, full stack na vida, gamer, apaixonado por tecnologia, gosta de silêncio e brownie com café ou Coca-Cola.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.