Adolescentes com espinhas fazem menos sexo

Pesquisa mostra que adolescentes com espinhas fazem menos sexo

As meninas adolescentes que sofrem de acne ( espinhas) severa são duas vezes mais propensas a pensar em cometer suicídio do que as demais, e os meninos que enfrentam esse problema pensam em suicídio três vezes mais do que os outros.

Esse é o resultado de um estudo publicado nesta quinta-feira (16) por pesquisadores da Universidade de Oslo, na Noruega.

espinhas
espinhas

A pesquisa, realizada com base em um questionário com 3.775 jovens noruegueses com idades entre 18 e 19 anos, traz evidências estatísticas sobre os efeitos que a acne tem na saúde mental.

De acordo com o estudo, 14% dos adolescentes entrevistados consideram a sua acne importante. Além de terem ideias suicidas – ou seja, eles pensam em tirar a própria vida, mas não chegam a cometer tal prática – esses jovens são duas vezes mais propensos a sentir falta de amigos.

O levantamento mostra ainda que 51% desses adolescentes nunca fizeram sexo, e 41% têm um desempenho medíocre na escola.

O estudo foi publicado na revista científica Journal of Investigative Dermatology e foi conduzido por Jon Anders Halvorsen, da universidade norueguesa.

Escrito por Portalpower

É pai de família, full stack na vida, gamer, apaixonado por tecnologia, gosta de silêncio e brownie com café ou Coca-Cola.

Um comentário

Deixe uma resposta

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.