Uma das maiores senão a maior injustiça de todas Olimpíadas

E ela aconteceu com nosso o maratonista brasileiro Vanderlei Cordeiro de Lima

Nas Olimpíadas de Atenas 2004, o maratonista brasileiro Vanderlei Cordeiro de Lima abriu uma vantagem considerável para o segundo pelotão e, na altura dos 35 km, do total de 42 km, estava na liderança da prova com uma diferença considerável de quase 30 segundos. 

Manteve um ritmo constante na prova e não contava a vitória antes da hora, ou seja, tinha tudo para terminar a prova com o ouro nas mãos.

Padre atrapalha Vanderlei
Padre atrapalha Vanderlei

Mas, de repente, Vanderlei foi atacado por um padre irlandês, que o agarrou e o jogou no meio da multidão.

Mais aleatório que isso impossível.

O atleta conseguiu se soltar rapidamente, mas teve uma quebra de ritmo e concentração, então acabou sendo ultrapassado por Stefano Baldini e Meb Keflezighi…

No final, ele recebeu a medalha de bronze.

No entanto, no final dos jogos, houve uma grande surpresa! E desta vez foi melhor que a surpresa do Padre Maluco.

Vanderlei foi homenageado com a medalha Pierre de Coubertin.

O detalhe mais especial desta medalha é que em 124 anos de criação, apenas 21 atletas conquistaram esse prêmio.

A homenagem é concedida aos competidores que demonstraram, durante os Jogos, alto grau de desportivismo e espírito olímpico.

Vanderlei é, até hoje, o único sul-americano a receber essa medalha.

Ele o recebeu pelo espírito esportivo em continuar na disputa mesmo após ser agredido e também pela humildade demonstrada após a prova.

Escrito por Portalpower

É pai de família, full stack na vida, gamer, apaixonado por tecnologia, gosta de silêncio e brownie com café ou Coca-Cola.

Um comentário

Deixe uma resposta

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.